MENU

Produtores-mapa
Categoria

Laticínios Mimos da Quinta – Goiás

Produtores-mapa, Queijo

10 de fevereiro de 2020

André Dal Col é produtor de queijos com um rebanho de 90 vacas da raça Jersey no município de Mossâmedes em Goiás, aos pés da Serra Dourada. Fabricam queijos de leite cru fresco que pesam em torno de 500 gr e meia cura e curado em torno de 1 kg.

Rebanho Fazenda Fiuca
Rebanho fica a pasto no verão e no inverno recebem complemento produzido na fazenda. FONTE: André Dal Col/acervo pessoal.

Na fazenda Quintas da Fiuca também são fabricados manteiga e queijos parmesão (1 kg) e o minas frescal (500 gr) de leite pasteurizado. As vendas são feitas na fazenda e pelo telefone (abaixo). Tudo é feito com leite da própria fazenda.

Queijo parmesão
Queijo parmesão fabricado no laticínio Mimos da Quinta. FONTE: André Dal Col/acervo pessoal.

André é produtor desde 2014 e começou vendendo leite e fazendo queijos para consumo. O interesse na fabricação de queijos aumentou e em 2018 ele e sua esposa Brunna resolveram abrir o laticínio Mimos da Quinta.

André e a esposa Brunna
André e a esposa Brunna. FONTE: André Dal Col/acervo pessoal.

Telefone: (62) 9632-0837

Ler artigo

Queijo do Gilson

109

Queijo Canastra do Gilson

Canastra, Destaque, Produtores-mapa, Queijo

9 de fevereiro de 2020

Gilson Batista é produtor de queijos com um rebanho de 60 vacas da raça Girolando em São Roque de Minas, na região da Serra da Canastra, Minas Gerais. Seguindo a tradição que é passada de geração á geração em sua família, Gilson fabrica queijos meia cura e curado que pesam em torno de 1,2 kg. E o merendeiro em torno de 400 gramas.

Rebanho Fazenda São Gerônimo.
Rebanho se alimenta de silagem e concentrado. FONTE: Gilson Batista/acervo pessoal

Os queijos de leite cru são vendidos online e na fazenda (contato abaixo). Na loja da fazenda você encontra também doces, geleias e artesanato regional. A fazenda recebe turistas todos os dias da semana para conhecer e acompanhar a produção do queijo e retirada de leite, não é necessário reservas. Horário: 8h-18h.

Queijo com goiabada fazenda São Gerônimo.
Queijo com goiabada da fazenda São Gerônimo. FONTE: Gilson Batista/acervo pessoal

Gilson morava em Belo Horizonte e trabalhava como office boy e aos 18 anos voltou para a cidade natal dos pais. Aprendeu com seus tios a fazer queijo e deu continuação a tradição de mais de 150 anos na sua família. Seguindo assim seu sonho, Gilson pretende passar a tradição para seu filho Gabriel.

Gilson e sua família
Gilson e sua família. FONTE: Gilson Batista/acervo pessoal

Prêmios

Medalha de Bronze no Mundial de Queijos do Brasil em 2019

Medalha de Bronze no V Prêmio Queijo Brasil em 2019

Queijo do Gilson merendeiro
Queijo do Gilson ganhador da medalha de bronze em 2019. FONTE: Gilson Batista

instagram: @queijosdogilson

Telefone: (37) 99983-3774

Ler artigo

316

Queijo do Johne e Queijo João Sinhana, Serra da Canastra

Destaque, Produtores-mapa, Queijo

4 de fevereiro de 2020

A história do queijo João Sinhana é antiga, a receita é feita há mais de 4 gerações na família de Johne de Castro, veterinário natural de Vargem Bonita. Mas ganhou um novo fôlego quando ele se associou com Holorico Soares Costa, um amigo de infância e também entusiasta do queijo.
“Desde pequeno adoro queijo e principalmente inventar curas diferentes. Aos 12 anos de idade eu vinha pra fazenda e enterrava alguns queijos para ver o resultado depois… Hoje vejo que podemos agregar muito mais valor ao queijo pela sua maturação e queremos investir nisso” explica Holorico.

Queijo meia cura. FOTO: Débora Pereira/SerTãoBras

O curral é impecável, tudo lavado depois da ordenha. As vacas não são separadas de suas crias. Os bezerros mamam para garantir a descida do leite sem aplicar hormônios sintéticos, da forma mais natural possível, através de uma janelinha que abre pra cada cria ao longo da ordenha mecânica.

Janela para bezerros mamarem durante ordenha. FOTO: Débora Pereira/SerTãoBras

Os queijos são prensados no pano, de leite cru, seguindo a receita tradicional da Canastra. Por enquanto, são vendidos no estágio meia cura e curado tradicional.

Queijo fresco com grandes pedras de sal, tradição da Canastra. Débora Pereira/SerTãoBras

Holorico seguiu um caminho diferente de Johne e formou-se em direito. Mora em Belo Horizonte com sua esposa e filhas. Mas a fazenda da família continua sendo sua paixão, onde ele cultiva café e fabrica queijo. Desde a associação com Johne, agora eles administram juntos duas fazendas: Capivara e João Sinhana. O objetivo é manter a fabricação do queijo do Johne e lançar em breve a fabricação do queijo João Sinhana, que terá uma gama de curas diferentes.

Serra da Canastra. Débora Pereira/SerTãoBras

Atualmente, os queijos são fabricados na antiga casinha da queijaria João Sinhana, mas em breve eles planejam construir uma nova estrutura, que inclui salas de maturação especiais.

Sala de fabricação. Débora Pereira/SerTãoBras

Johne já esteve na França para aprender mais sobre o mundo do queijo. “Não podemos parar nunca de estudar, cada dia descobrimos novos temas para aprender” conta o veterinário empolgado.

São mais de 20 nascentes e duas cachoeiras. Débora Pereira/SerTãoBras

Os dois amigos são preocupados também com preservação da natureza local. Eles estão desenvolvendo o projeto turístico-ambiental Respira Chico: parte do valor arrecadado com o queijo será destinado a reflorestar a nascente do rio São Francisco.

Mães e filhos não se separam.

“A ideia é expandir o projeto para outros produtores, que poderão usar o selo verde, uma garantia para consumidor que o produtor tem consciência ambiental. “Está previsto um viveiro de mudas e inclusive o turista que vier visitar a região poderá ajudar a plantar árvores nativa” disse Holorico.

“Temos uma mata muito grande, nossas fazendas juntas são umas das maiores daqui, 312 e 63 alqueires, as águas que brotam aqui desaguam no São Francisco. São mais de 20 nascentes e duas cachoeiras rodeadas de muita mata” explica Johne.

Queijo João Sinhana

Vendas

Direto na fazenda
Whatsapp (37) 99844-6699
Instagram queijodojohne

Ler artigo

Rebanho e sede fazenda Santiago.

306

Queijo canastra da Raquel

Canastra, Destaque, Produtores-mapa, Queijo

3 de fevereiro de 2020

Raquel Costa Faria é produtora de queijos de leite de vacas mestiças das raças Caracu, Gir, Jersey e Holandês, na cidade de São Roque de Minas, Serra da Canastra. Ela vem seguindo a tradição que é passada pela família, é a quinta geração de produtores de queijo. Os queijos fabricados são o meia cura e curado, que pesam em torno de 1 kg. E o merendeiro em torno de 300 gramas.

Rebanho da fazenda Santiago
As vacas são mantidas a pasto o ano todo e no inverno recebem silagem de milho para complementar a alimentação. FONTE: Marco Antônio/acervo pessoal

Os queijos são feitos de leite cru e as vendas diretamente na Fazenda Santiago. Uma loja com doces, pingas, cafés, farinhas e artesanatos recebe cliente, mas a venda pode ser feita por telefone ou online (contato abaixo). A Fazenda também recebe turistas todos os dias da semana para ver a fabricação e conhecer a fazenda.
Horário: 8h-17h.

Doces produzidos na fazenda Santiago
Doces e queijo produzidos na Fazenda Santiago. FONTE: Marco Antônio/acervo pessoal

Raquel aprendeu com sua mãe. Desde os seus seis anos ela e sua irmã subiam no toquinho para fazer queijos nas férias: merendeiro, tradicional… Ela recebia por esse serviço e ficava bem feliz!

Família Faria da fazenda Santiago
Da esquerda para a direita: Júlio (marido da Raquel), Luis Fernando (filho do casal), Raquel e José Antônio (pai da Raquel e dono da Fazenda Santiago). FONTE: Marco Antônio/acervo pessoal

“Penso que sempre temos que fazer o que gostamos”, Raquel.

Queijos produzidos na fazenda Santiago.
Queijos produzidos na Fazenda Santiago. FONTE: Marco Antônio/acervo pessoal

Instagram: Queijo Fazenda Santiago

Telefone: (37) 98831-0608

Ler artigo

266

Queijo canastra do Serjão

Destaque, Produtores-mapa, Queijo

23 de janeiro de 2020

Sérgio de Paula Alves, conhecido como Serjão, é produtor de queijo de vacas da raça Girolando e Jersey cruzada com Holandesa na cidade de Piumhi, na região da Serra Canastra. Um queijo de casca firme, mofo branco e interior macio e cremoso. O mofo aparece naturalmente, faz parte da natureza da sua fazenda, sem acrescentar nenhum fermento do comércio. Isso resulta em notas de champignon branco muito apreciadas pelos consumidores. O queijo pesa em torno de 1 kg.

Mofo branco que coloniza os queijos do Serjão. FOTO: Sérgio de Paula Alves/Acervo Pessoal.

A fabricação do queijo é 100% com leite cru. A maturação é feita no mínimo por 15 dias. As vendas são feitas diretamente ao consumidor, por internet (contactar por telefone ou redes sociais abaixo) ou na loja em Piumhi, MG.

O queijo é prensando manualmente no pano. FOTO: Sérgio de Paula Alves/Acervo Pessoal.

“O queijo foi o jeito de deixar o sonho de ir pra roça viável” disse Serjão.

Foram os avós de Serjão, Álvaro e Antônia, que inspiraram o neto a viver uma vida no campo. Mas ele não achava viável esse caminho profissional. Então primeiro foi estudar fora e trabalhou como corretor de seguros e cursou direito. Somente em 2015 ele se deu conta que a felicidade estava na roça e voltou para a fazenda da família.

Serjão cuida todos os dias da maturação dos queijos. FOTO: Sérgio de Paula Alves/Acervo Pessoal.

“Minha vocação era voltar a trabalhar com gado leiteiro, fazer queijo e tirar meu sustento dessa atividade” disse Serjão.

Queijo de qualidade reconhecida internacionalmente. FOTO: Sérgio de Paula Alves/Acervo Pessoal.

Prêmios

  • Mundial do Queijo de Tours na França em 2019, medalha de bronze com queijo de mofo branco
  • Mundial do Queijo do Brasil em 2019: 2 pratas e 2 bronzes
  • Prêmio Queijo Brasil: ouro no IV e no V, prata no III e V, bronze II, III, IV
As vacas felizes se alimentam exclusivamente de pasto no verão. FOTO: Sérgio de Paula Alves/Acervo Pessoal.

Queijo do Serjão

Contato

  • Vendas pelo telefone ou na loja física em Piumhi. Envio do queijo por correio ou transportadora.
  • Instagram
  • Facebook
  • Telefone: (37) 999567757

Ler artigo

159

Pardinho Artesanal – São Paulo

Destaque, Produtores-mapa, Queijo

29 de dezembro de 2019

Fotos Thomas Baccaro

Do alto dos montes íngremes de Pardinho, a 960 metros de altitude, a Fazenda Bela Vista produz os famosos queijos da gama Pardinho Artesanal, como o mandala e o cuesta. “Após 30 anos de seleção genética da raça Gir, a partir de um rebanho de linhagem indiana, começamos a perceber que os produtos feitos na fazenda (queijos, doce de leite e manteigas) tinham algo diferente em seu sabor. Dessa percepção veio, em 2013, a vontade de fazer queijos especiais, para evidenciar as peculiaridades do leite da raça Gir.”

“Para isso, sabíamos que era preciso buscar o que de melhor estava sendo produzido no mundo. Neste sentido, fizemos um programa de intercâmbio com produtores, técnicos e chefs franceses, buscando a base tecnológica para desenvolvermos nossos queijos, com suas características próprias, impressas pela Cuesta de Pardinho.”

Deste esforço inicial nasceu o queijo Cuesta, primeiro de Pardinho Artesanal e desde então não paramos de criar, sempre com o intuito de desenvolver sabores originais e que imprimam nossa identidade.”

“Logo entendemos que o método artesanal seria fundamental, aliado à maturação em caves subterrâneas, e a utilização das mais rígidas e avançadas técnicas de controle sanitário para viabilizar o uso do leite cru.

O rebanho, com 95 vacas em lactação, produz em média 700 litros/dia (2019).

Pardinho Artesanal faz parte do coletivo Caminho do Queijo Artesanal Paulista.

Prêmios

Cuesta – Ouro no Premio Queijo Brasil (2017)
Cuesta – Super Ouro no Mondial du Fromage em Tours (2019)
Mandala – Prata no Mondial du Fromage em Tours (2019)
Cuesta – Super Ouro no Mundial do Queijo Brasil em Araxá (2019)
CuestAzul – Ouro no Mundial do Queijo Brasil em Araxá (2019)
Mandala – Diamante no Mundial do Queijo Brasil em Araxá (2019)

Localização

Fazenda Bela Vista, na cidade de Pardinho – SP, Fica no alto da Cuesta, a 960m de altitude.

“Cuesta é uma forma de relevo em que colinas e montes têm um declive não simétrico, ou seja, suave de um lado e íngreme do outro. A palavra tem origem no idioma espanhol e significa encosta de uma colina ou monte. Em geologia e geomorfologia, cuesta refere-se especificamente a um cume assimétrico com inclinação longa e suave.”(Wikipedia)

Ler artigo