Fazenda Santa Luzia

A Queijo com Arte Fazenda Santa Luzia  é  uma queijaria artesanal na cidade de Itapetininga, São Paulo. Desde 1976 a fazenda produz leite tipo B de vacas da raça Simental e a produção de queijos começou em 1997. O casal Maristela Nicolellis e Martin Breuer produz 20 tipos de queijo entre frescos, maturados, de leite cru ou pasteurizado, de casca lavada, com mofo branco, massa mole, cozida, dura e condimentados.

​Nossos anos de dedicação e trabalho sério são reconhecidos pelos clientes e também pelas diversas premiações em concursos nacionais e internacionais.

Maristella nicolellis

​Engajada no desenvolvimento do setor na sua região, a Fazenda Santa Luzia é uma das fundadoras do grupo de queijeiros do Caminho do Queijo Artesanal Paulista. Martin Breuer é vice-presidente da APQA (Associação paulista de queijos artesanais) e Maristela Nicolellis é presidente da Embaixada do Brasil Guilde Internationale des Fromagers

A queijaria do casal Maristela Nicolellis e Martin Breuer foi a primeira do Estado de São Paulo fiscalizada pelo SISP. FOTO: Acervo Pessoa Fazenda Santa Luzia.

Além dos queijos básicos (minas frescal, minas padrão, paulista e coalho), Maristela e Martin têm uma gama de queijos artesanais especiais:

TROPEIRO – Massa suave, amanteigada com sabor equilibrado e cobertura de cinza vegetal. Matura em câmara subterrânea por no mínimo 2 meses.  O nome é em homenagem aos Tropeiros que passavam por Itapetininga. Recebeu Medalha de Ouro em 4 anos consecutivos no Prêmio Queijo Brasil e Medalha Super Ouro no Mundial de Araxá 2019.

TROPEIRINHO – O Tropeirinho é o irmão caçula do Tropeiro. Queijo de massa suave, amanteigada, com sabor suave e equilibrado. Matura 40 dias e quando pronto, além da cinza na casca, leva decoração que remete à vestimenta dos Tropeiros. É um excelente presente!

SIMENTAL – O Simental é um queijo de massa amanteigada com sabor característico adquirido pela presença de mofos na casca. Matura em câmara subterrânea por no mínimo 2 meses.  É excelente para derreter e fazer receitas com toque francês, inclusive a Raclette. O nome Simental é uma homenagem à raça das vacas leiteiras que produzem o leite da Fazenda Santa Luzia. Recebeu Medalha de Prata em 5 anos consecutivos no Prêmio Queijo Brasil

BANDEIRANTE – É um queijo de massa amanteigada com sabor característico adquirido pela presença de microrganismos durante sua maturação mínima de 2 meses em câmara subterrânea.  É suave, untuoso e sua casca exala um delicioso odor de mofo. É excelente para derreter e como ingrediente para pratos gratinados. Ideal para Raclette. O nome Bandeirante é homenagem aos desbravadores de nossas terras.

GARNIZÉ – Massa untuosa, macia, condimentada com tomilho, manjerona, sálvia e alecrim. O mix de ervas dá um frescor à massa amanteigada, sem que o queijo perca sua suavidade. Matura aproximadamente 40 dias em câmara subterrânea. Sua casca é coberta com espinafre desidratado para transmitir a sensação de frescor. Pensamos na galinha Garnizé que vive ao ar livre e cisca diversas ervas, e assim batizamos o queijo. Recebeu uma Medalha de Prata no Prêmio Queijo Brasil.

 CARIJÓ – Massa untuosa, macia, condimentada com kümmel (Carum carvi). O sabor das sementes de kümmel dão um sabor especial ao queijo. Matura aproximadamente 40 dias em câmara subterrânea. Sua casca é coberta com cenoura desidratada. O nome é devido às pintas das sementes de kümmel no seu interior, como a galinha Carijó. Recebeu Medalha de Prata no Prêmio Queijo Brasil.

BRAUKÄSE – Massa muito amanteigada, o Braukäse é lavado na cerveja artesanal  e matura aproximadamente um mês. Tem odor leve e sabor de cerveja. O Braukäse é fruto de parcerias da Queijo com Arte e cervejarias artesanais. O objetivo é  levar ao consumidor a experiência dupla: queijo e cerveja artesanal. O nome é alemão´:  “brauen” é o ato de fazer cerveja. “Käse” é queijo. O composto Braukäse poderia ser traduzido por Queijo Cervejeiro, Queijo da Cervejaria ou Queijo de Cerveja. Recebeu Medalha de Prata no Prêmio Queijo Brasil.

GREGÓRIO – Queijo de massa macia e untuosa, condimentado com sementes de feno grego (Trigonella). Matura aproximadamente 40 dias em câmara subterrânea onde desenvolve aroma e sabor muito especiais. O feno grego é muito usado na culinária asiática e tem diversas propriedades medicinais. O nome Gregório, significa atento e vigilante em grego.

FERNÃO – Queijo de massa dura, amanteigada, sabor picante, que derrete e preenche a boca. Maturação mínima de 10 meses em nossas câmaras subterrâneas. Algumas peças podem apresentar infiltração de mofo azul em seu interior, o que lhes confere um sabor muito especial. O nome é em homenagem ao bandeirante desbravador brasileiro. Recebeu 3 Medalhas de Prata no Prêmio Queijo Brasil.

GIRAMUNDO – Queijo de massa semi dura com maturação mínima de 4 meses em câmara subterrânea. Conforme envelhece, sua massa fica mais quebradiça e o sabor levemente picante.  Foi inspirado no queijo holandês Edam. Sua cobertura de beterraba desidratada lhe confere  uma coloração muito bonita. O nome é uma alusão às viagens que este queijo fez da Holanda até Portugal e depois para o Brasil. Recebeu 2 Medalhas de Prata no Prêmio Queijo Brasil.

PIONEIRO – Queijo de leite cru, massa macia e de fácil corte, sabor pronunciado, picante que remete aos queijos alpinos. Maturação a partir de 3 meses, pode apresentar olhaduras em seu interior. Foi batizado de Pioneiro porque foi o primeiro queijo com receita totalmente original de leite cru desenvolvido pela Fazenda Santa Luzia.

RAÍZES – Queijo feito de leite cru, massa semi-dura com maturação a partir de 2 meses. Tem sabor rústico que persiste na boca com notas de azeite de oliva e outros vegetais. É um queijo autêntico do nosso terroir e carrega as raízes da fazenda e raça de gado. Tem a casca pintada de caramelo para lhe conferir cor de terra e decoração encravada, imitando as raízes de uma árvore. Recebeu Medalha de Prata no Mundial de Araxá 2019

CASTANHO – Queijo de leite cru, massa dura, maturação de 10 meses até 4 anos em câmara subterrânea com temperatura controlada. Interior quebradiço, com cristais de tirosina, sabor picante, intenso e muito persistente. O nome foi dado porque o queijo bem maturado tem notas de castanha na boca e torna-se escuro ao longo da maturação. Recebeu Medalha de Prata no Prêmio Queijo Brasil.

CÂNDIDO – Queijo de massa mole com mofo branco Penicillium candidum de receita francesa. Pronto em 10 dias, muda suas características de acordo com seu estágio de maturação, sendo:  Até 20 dias –  massa firme e sabor suave; Até 40 dias – massa macia e cremosa, a casca apresenta cor de palha; Até 60 dias – massa mole, escorrendo, casca e interior levemente escuros, sabor pronunciado e odor de amônia.

DIONÍSIO – Maturado em câmara subterrânea com lavagens regulares em vinho branco das Serras Gaúchas, matura por 21 dias. Tem o interior macio e a cremosidade aumenta conforme ele envelhece, chegando a escorrer. A casca sobre a qual se desenvolvem diversos fungos tem o aspecto quebradiço e, às vezes, crocante. Tem um odor intenso devido à ação da bactéria Brevibacterium linens e sabor penetrante à medida que matura. Foi batizado com o nome do deus do vinho na mitologia grega. Recebeu Medalha Super Ouro no Mundial de Araxá 2019 e Medalha de Prata no Prêmio Queijo Brasil.

FRESCAL COM IOGURTE – Queijo fresco com adição de iogurte, o que lhe confere sabor levemente ácido.  Tem consistência macia que se intensifica com o passar do tempo. Se armazenado em condições adequadas, depois de 1 mês, torna-se extremamente cremoso, podendo ser usado para passar no pão. Recebeu Medalha de Prata no Prêmio Queijo Brasil.

PADRÃO – Queijo com 1 mês de maturação, massa macia, sabor levemente ácido. O Padrão é o queijo típico brasileiro, fica gostoso em sanduíches, com doces e é ideal para fazer pão de queijo. Recebeu Medalha de Prata no Prêmio Queijo Brasil.

PAULISTA – O queijo Paulista tem sua origem na receita do tipo Saint Paulin francês. Como estamos no Brasil, mais exatamente em Itapetininga, no interior de São Paulo, o nome mais adequado para ele é Paulista mesmo. O Paulista é um queijo macio, com 1 mês de maturação e sabor suave. Leva urucum em sua receita, o que lhe confere a cor alaranjada. É ótimo para derreter tanto em sanduíches, como em pratos que vão ao forno e até na Raclette.

QUEIJO DE COALHO – Queijo de massa fresca, prensada, usado para grelhar. Tem sabor delicado e pouco sal.

Os queijos são produzidos ao estilo das pequenas queijarias artesanais europeias. “– O público que compra é exigente quanto à qualidade, essa excelência é garantida por uma produção em pequena escala exclusivamente com leite da nossa própria fazenda” disse Maristela.

Na foto, 12 tipos de queijo artesanais “especiais”. FOTO: Acervo Pessoa Fazenda Santa Luzia.

Durante a fase de maturação ocorre o desenvolvimento do sabor, aroma e textura próprios de cada queijo. Nenhum conservante químico é utilizado.

Eles são curados em câmaras de maturação subterrâneas por períodos que podem se prolongar até 3 anos. FOTO: Acervo Pessoa Fazenda Santa Luzia.

A fazenda tem uma loja da fábrica funciona de segunda a sábado das 9 às 17 horas. Aos sábados funciona o bistrô Queijo com Arte.

O Bistrô Queijo com Arte foi decorado com móveis de madeira, embaixo de árvores, numa área aberta, no meio de flores e pássaros. O ambiente é rústico, campestre, mas o atendimento é muito caloroso.

Aqui você se senta tranquilamente em meio à natureza, curte o aqui e agora e se delicia com nossos pratos que são preparados na hora, sem pressa.

maristella nicolellis

www.fazendasantaluzia.com.br

Facebook : queijo com arte

Instagram: queijo_com_arte

[email protected]

Tel: (15) 3273-1565 / 99656-1945

Endereço: Fazenda Santa Luzia, Avenida Serafino Fileppo, 1977, Chapada Grande. CEP 18.204-000 Itapetininga, São Paulo

Leia Mais
Cada Minas em seu lugar