Jacarandá, o novo restaurante-armazém de Ana Massochi, vende queijos da Canastra em São Paulo

Os bons queijos artesanais brasileiros têm aparecido com frequência nos cardápios de restaurantes que enfrentam dificuldades de fornecimento, mas resistem às barreiras impostas ao livre consumo do produto feito com leite não pasteurizado. Jacarandá, o recém-inaugurado restaurante de Ana Massochi no bairro de Pinheiros em São Paulo, vai além.

Ana, também proprietária dos restaurantes La Frontera e Martin Fierro, resolveu juntar ao restaurante um armazém. E nele oferece produtos de pequenos produtores, gêneros trazidos de diversas regiões do país: goiabada de São Gonçalo de Minas, doces de Pelotas (RS), pimenta Baniwa da Amazônia, polpa de pequi do Cerrado e, a estrela da casa, os queijos artesanais feitos de leite cru de Minas Gerais. Lá estão o Canastra Real, produzido por Luciano Carvalho Machado em Medeiros (MG), queijos frescos e maturados produzidos por Otinho e Eliane em São Roque de Minas, ambos na região da Serra da Canastra e queijos da região de Araxá.

Ana Massochi diz que o armazém é um balcão para o pequeno produtor e para o pequeno cozinheiro. Ele tem vida própria, funciona em horário comercial, mas está totalmente integrado ao espaço que, além do restaurante, tem ainda um bar e área para eventos.

O vídeo abaixo mostra a visita que Ana fez à Canastra em busca de bons queijos para o seu restaurante-armazém.

Ana Visita a Canastra from SerTãoBras on Vimeo.

Transcrição do vídeo:

Ana Massochi fala com Eliana Oliveira (produtora da Fazenda Matinha do Ouro): Eu vou pegar o queijo curado. Já comprei em São Paulo o queijo de vocês e de outros produtores. E a gente fez uma degustação e o seu sempre agradava mais. Ora, a ideia é poder levar três ou quatro produtores, com queijos curados e menos curados, e o público ir escolhendo.

Como também temos várias receitas, sempre trabalhando com queijo um pouco mais curado. Mas claro que se pode também trabalhar com o queijo mais fresco.

Seriam duas frentes de trabalho: uma na cozinha interna, onde você tem um risoto com o queijo da Canastra, tem uma sobremesa, tem salada, um empanado.

E é um começo. Porque corre a ideia lá e com outros donos de restaurantes, apresentar também um produto quanto menos intermediação houver, mais o produtor ganha.

Eu gostaria agora de deixar encomendado um lote e aí depois lá embaixo ver como se pode fazer o transporte.

Ana Massochi fala com Gaspar Soares (produtor e distribuidor): O queijo de leite cru, o queijo da serra da Canastra, que vocês produzem aqui tem tudo para ser um produto mais que valorizado. E o governo tem que fazer isso. Agora, ele aparece em jornais, televisão. Então, abre um processo para que a população fique por dentro e saibam que estão proibindo um queijo que é luxo, não é verdade? É um luxo ter um produto como esse!

Leia Mais
Consulta pública debate novas normas sanitárias para alimentos de base familiar e artesanal