Manifesto Cozinhista Brasileiro

Por José Orenstein, do Paladar, 6/9/2012

O Paladar lançou na sua última edição abaixo-assinado endereçado às autoridades da Anvisa e Ministério da Agricultura para preservar as tradições da cozinha brasileira. Vários nomes que trabalham na área assinaram. O objetivo é chamar a atenção para as barreiras legais que chefs, produtores e consumidores enfrentam para comer o que sempre se comeu nestas terras. E exigir mudanças.

Para entender o porquê do manifesto, leia a edição de 6/9/2012 do Paladar.

Abaixo-assinado Manifesto Cozinhista Brasileiro

Para: Ministério da Agricultura, Anvisa e Governo Federal

 

Comida é cultura.

Não é apenas aquilo que nos alimenta: carrega tradições e é elemento essencial de nosso patrimônio cultural e gastronômico e fonte de emprego dos que vivem para alimentar os outros. Por isso, a regulação da comida em nosso país deve levar em conta esses fatos sem desconsiderar a segurança sanitária – que não é incompatível com as formas tradicionais de produção e uso de alimentos.

Que a ciência e a técnica nos sirvam de ferramentas para que possamos garantir a saúde e o bem-estar dos consumidores, mas que não estabeleçam restrições estranhas a nossa cultura que eliminem nossa tradições.

A preservação da cozinha brasileira significa também preservação social, cultural e ambiental. Neste momento em que o Brasil ganha crescente projeção internacional, é fundamental valorizar o que temos de peculiar, sem medo, de forma a fortalecer nosso mercado interno e mostrar ao mundo nossa riqueza gastronômica. Ora, há exemplos, como o da União Europeia, que mostram ser possível preservar a tradição gastronômica sem abrir mão da segurança sanitária.

Não se trata, portanto, de tarefa inviável – basta vontade política.

Por isso reivindicamos às autoridades do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária:

1 – que produtos e modos de fazer tradicionais sirvam de parâmetro tanto quanto a preservação da saúde

2 – que o pequeno produtor, responsável por mais de 70% dos alimentos que chegam à mesa do brasileiro e guardião da nossa cultura gastronômica, seja valorizado e ouvido na produção das normas sanitárias

3 – que os regulamentos técnicos, a serem lançados pelo MAPA após a revisão do Riispoa, contemplem as demandas dos produtores artesanais, e não apenas as da indústria

4 – que os fiscais da Anvisa e dos Serviços de Inspeção Federal, Estadual e Municipal sejam treinados e orientados para compreender, na sua prática diária , as particularidades dos produtos e produtores artesanais de alimentos

5 – que a pesquisa aplicada sobre a qualidade de nossos produtos seja fomentada, de forma descentralizada, nas várias regiões do País

6 – que sejam mantidos abertos os canais de diálogo entre os setores da gastronomia e dos produtores artesanais com a Anvisa e o MAPA

Os signatários

 

Abaixo, os chefs, pesquisadores e gastrônomos que já assinaram:

-Alberto Landgraf
-Alex Atala
-Ana Rita Suassuna
-Ana Luiza Trajano
-Ana Zita Fernandes
-Bella Masano
-Benny Novak
-Breno Raigo
-Carlos Alberto Doria
-Carolina Brandão
-Diego Arrebola
-Edinho Engel
-Eduardo Maya
-Elizabetg Kövesi Mathias
-Ensei Neto
-Helena Rizzo
-Heloisa Bacellar
-Ivan Achcar
-Janaina Rueda
-Jane Pizzato
-Jefferson Rueda
-João Carlos Santos da Luz
-João Rural
-José Barattino
-Juarez Campos
-Maurício Maia
-Mônica Rangel
-Neide Rigo
-Nilo Burgarelli
-Rafael Costa e Silva
-Paulo Guilherme Martins
-Roberta Sudbrack
-Roberto Smeraldi
-Rodrigo Oliveira
-Rusty Marcellini
-Wanderson Medeiros

Veja a matéria original

Leia Mais
Estudo destaca utensílios na produção do queijo do Serro