Otinho e Eliane produzem queijo pertinho do céu

Otinho e Eliane (Foto: Arnaud Sperat-Czar)

Por Débora Pereira

A Fazenda da Matinha é o pedaço de céu onde vive o casal de produtores de queijo Otinho e Eliane. No extremo leste do Chapadão da Canastra, suas terras se estendem por 18 alqueires, onde pastam 3 dúzias de vacas “tatu-com-cobra”, essas que têm a raça indefinida. Suas mãos transformam leite coalhado em cerca de 20 queijos por dia.

São vizinhos do casal Zé Pão e Ronilda, destacados no filme o mineiro e o queijo de Helvecio Ratton.

 Helvécio Ratton (ao centro) e o casal Zé Pão e Ronilda. (Foto: Rusty Marcellini)
Helvécio Ratton (ao centro) e o casal Zé Pão e Ronilda. (Foto: Rusty Marcellini)

A casa onde vivem Otinho, Eliane e o filho Juninho fica a 8 quilômetros da cidade de São Roque, e a poucos metros de onde cai a cachoeira do Cerradão, uma das mais belas das que jorram da Canastra.

O sonho de Otinho e Eliane é começar a fazer uma freguesia direta em São Paulo, para não perderem o lucro nos atravessadores. “Queremos ser fornecedores da Ana Argentina”, disse Eliane, se referindo à dona dos restaurantes Martin Fierro e La Frontera, que conheceram quando esta visitava
a serra da Canastra em busca de produtos de origem para seus cardápios. Mas, enquanto a legislação absurda brasileira não muda, o valioso produto da Fazenda da Matinha não pode chegar legalmente ao cardápio dos paulistas.

 

Leia Mais
Coalisão em defesa dos queijos artesanais: responda a enquete