França: cresce consumo de queijo em Bordeaux

Por Débora Pereira e Arnaud Sperat-Czar

Renovação.
Na onda do crescimento comercial do vinho,
Bordeaux desperta para a arte queijeira

Uma dezena de novas butiques de queijo no espaço de dois anos, algumas delas de vanguarda. Em Bordeaux, se observa um crescimento brusco do interesse pelos queijos, uma efervescência que ninguém havia previsto. Na onda comercial do vinho, os bordaleses gostam de grandes nomes do queijo. O ilustre Jean d’Alos e a marca Beillevaire são emblemas de renovação e modernização, com suas instalações para maturação e venda, referências na costa do Atlântico.

 

>> Dez butiques em dois anos !

A cidade de Bordeaux e seus arredores, com dois milhões de habitantes, contam com 47 butiques de queijo, contra 38 em 2009, incluindo os mercados. A renovação urbana e demográfica desde o último século deu pouco a pouco uma nova aparência à cidade, que foi declarada patrimônio mundial da Unesco em 2007.

Paris intra-muros, com pouco mais de dois milhões habitantes, possui mais de 400 butiques de queijo, segundo dados do Salão do Queijo. Isso sem contar os arredores, os banlieues, que podem chegar a 12 milhões de habitantes. Ou seja, enquanto na grande Paris tem uma queijaria para cada 30 mil habitantes, em Bordeaux este número sobe para 50 mil.

Mulheres em Bordeaux

Embora os grandes nomes do queijo de leite cru francês tenham suas butiques especiais em Bordeaux, são as mulheres que comandam as duas queijarias mais charmosas da cidade…

>> Au Marché des Capucins

Para Micheèle Cos-Boada, 65, Bordeaux tem espaço para todo mundo. Ela contempla essa efervecência com um olhar de bem aventurança. Se comparada a Paris, tem razão, Bordeaux ainda pode crescer bastante.

Eu ajudei muito jovens a se especializerem na arte do queijo, e creio ter contribuído para aumentar seu entusiasmo”, diz ela.


Nascida em Bordeaux, defensora intransigente dos queijos de leite cru tradicionais, Michele foi a líder de uma pequena rede de distribuição e venda de queijo de Bordeaux a Arcachon e de Libourne a Lacanau. Ela começou a se desfazer gradualmente do negócio a partir de 1998.

Hoje, quase aposentada, ela faz questão de ficar ainda mais um ano no Mercado do ‘Capu’, como é conhecido, para acompanhar a gestão do negócio por um dos seus empregados, Valérie Barthes.

Historicamente, Bordeaux não tinha muita tradição de queijos, porque os vinhos daqui tem muito tanino, o que não combina bem com o queijo. Por isso, nós devemos render homenagem a Jean D’Alos, que veio aqui abrir o caminho para os queijo, sem a sua ajuda essa efervescência não estaria acontecendo”

Para Michele, Bordeaux tem espaço para todo mundo.

Elodie Deruelle >> Comme à la maison

Elodie Déruelle assinou o contrato de instituição da sua butique de queijo no dia em que completou 40 anos. Após mais de vinte anos consagrados ao serviço doméstico, ela queria renovar sua paixão de infância: aos 14 anos, cuidava de cabras na Borgonha.

Atualmente ela está instalada justo ao lado de uma ótima boulangerie (padaria), em um bairro pouco comercial de Bordeaux. Sua butique é acolhedora, com móveis de antiquário, visual retrô e nostálgico, pinturas estilo inglês Farrow & Ball… e uma seleção pequena, mas pontual, de queijos especiais de leite cru.

À frente Elodie Deruelle, com sua fiel escudeira Pauline.

 

Leia Mais
Ron Paul, o libertário