Chefe da FDA defende ataque ao leite cru

A FDA está prestes a implementar leis severas, que incluem apreender alimentos nas próprias fazendas

O chefe da Food and Drugs Administration (FDA)-  órgão de regulador da alimentação nos EUA – Michael R. Taylor, defendeu a operação contra os produtores de leite cru, inclusive contra o fazendeiro Amish, da Pensilvânia, Dan Allgyer, que está sendo processado por vender leite cru em outros estados. Nenhum leite vendido por Allgyer estava contaminado. As ações da FDA parecem ter o objetivo de deixá-lo sem trabalho.

“Acreditamos que estamos fazendo nosso trabalho”, disse Taylor em uma apresentação em Washington. Ele prometeu “manter o trabalho de saúde pública”, reafirmando apoio à FDA contra os produtores de leite cru.

Dan Allgyer está sendo processado por vender leite cru para fora do Estado da Pensilvânia

A FDA está prestes a apresentar leis severas, que irão implementar o Food Safety Modernization Act (Ato de Modernização da Segurança Alimentar, tradução livre) que o congresso americano aprovou ano passado, sob aplausos de todos (do governo Obama, democratas e republicanos), apesar da grande oposição entre os partidos. Essa nova lei dá poderes extraordinários à agência, permitindo a apreensão de alimentos nas próprias fazendas e tirando o direito dos produtores de recorrerem à corte federal.

No dia três de julho, a agência irá emitir suas novas regras para deter qualquer alimento que acredita ser inseguro. No caso de Allgyer, a FDA se sustenta completamente na proibição da venda interestadual de produtos de leite cru. Antes da nova lei, a FDA só poderia apreender um alimento quando houvesse evidências convincentes que a comida estivesse contaminada ou podendo fazer mal à saúde pública. A liberdade de recolhimento dos alimentos é parte dos esforços, segundo Taylor, para se evitar surtos de envenenamento ao invés de ter de remediar depois.

Taylor sublinhou a abordagem agressiva da FDA, dizendo que ela procura “uma grande porcentagem de apoio” às novas regras, elogiou os novos recursos de inspeção, incluindo acessos aos registros das fazendas. Ele ainda afirmou que a agência se posiciona agora como a principal reguladora das propriedades rurais (outro fator abrangido pela nova lei), dando poderes à FDA de interditar qualquer fazenda que esteja fora dos padrões impostos pelo governo.

As novas resoluções atingem diretamente as etapas iniciais da produção. Taylor disse que a nova lei vai estender as regras já existentes, com algumas regulamentações que exigem um ambiente na fazenda quase totalmente esterilizado.

 

Tradução: Gustavo Perucci

Fonte: http://3wheeledcheese.wordpress.com/2011/06/14/obamas-food-safety-chief-defends-raw-milk-raids/

 

Leia Mais
Produtores de queijo pedem revisão das leis sanitárias brasileiras