Parada pelo Queijo

Gastronomia
Nádia Antunes (coordenadora do curso de Gastronomia da Estácio de Sá), Carlos Dória (diretor da Sertãobras) e nomes da gastronomia mineira: Zoroastro Passos, João Vergario, Eduardo Girão, Paulo Henrique, no Fórum Futuro da Gastronomia. Foto de Helena Sampaio.

A legislação absurda do SIF marginaliza a produção de queijo de leite cru. Por que ainda toleramos isso? Eu sugiro uma revolução, o Dia da Parada Nacional dos Restaurantes pela Legalização do Queijo.” Carlos Dória (blog e-Boca Livre) diretor da Sertãobras e gastrônomo, em palestra no Fórum Futuro da Gastronomia de Minas, na faculdade Estácio de Sá, dia 29 de março de 2010.

Dória considera que a proibição do queijo de leite cru é o maior exemplo de como o Estado e o poder médico intervêm na legislação, com consequências nocivas para a sociedade. “Na verdade, normas sanitárias só servem para fortalecer os grandes monopólios da indústria alimentar”, afirmou ele.

Carlos Dória passou a mensagem de que comida não pode ser desassociada da cultura. Segundo ele, é preciso fugir da alienação e reconhecer a complexidade do processo que liga a agricultura à mesa do cliente, para que pratos típicos possam alcançar um mercado nacional sem perder suas características sócio-culturais. Isso favorece a distribuição dos produtos alimentares artesanais, feitos por pequenos produtores.

Leia Mais
Reflexões sobre a Instrução Normativa nº 30, de 2013